28.8.09

Imagem da semana....



Sem comentário....(hahahahaha)

27.8.09

Coerência deve começar exatamente por ele....

Vídeo enviado pelo Mestre Ademir...

Tirem suas próprias conclusões....

video

Alguém sabe o que falta nestes discursos???

22.8.09

As coisas simples...

As coisas simples...


A felicidade, como dito em outro post, é algo que depende da visão de cada pessoa, mas na visão de muita gente a felicidade está no dinheiro, na fama, nas viagens, mas há controversias.


Primeiramente esclarecendo: O dinheiro é bom, ajuda muito, principalmente quem sabe utiliza-lo, é algo que pode salvar vidas, e pode trazer felicidade, mas não é tudo nessa vida, exemplos nós temos a toda hora, pessoas "sentadas" no dinheiro que continuam na busca pela felicidade, aí eu lhes pergunto....como pode? pessoas com muito dinheiro ainda infelizes? a resposta é óbvia, o dinheiro não trás a felicidade geral, pra alguns até pode, mas a felicidade é muito mais do que luxo, ou seja, a felicidade está dentro de cada um, e pode ser sanada de vários jeitos, sendo que cada pessoa tem sua particularidade para encontrá-la.


Segundo: A fama é algo que todos buscam, a popularidade está nos olhos de todo mundo, e quem é realmente popular é transformado em Deus, em alguém inalcançavel, o que é totalmente idiota dizer, pois aquele ator da novela das oito é igualzinho ao pedreiro que levanta três muros por dia, são humanos, pessoas normais, na verdade, na minha opinião, o pedreiro que dá um duro danado por dia é quem deveria ser o "cara". Mas voltando ao assunto, a fama deve ser muito boa mesmo, estar sempre na mídia, com muita gente na volta, mas temos os lados negativos também, por exemplo, estar sempre na mídia transforma pessoas, não vou citar mas exemplos não faltam de pessoas populares que caem no alcool, nas drogas e etc. por não saber lidar com esse estilo de vida, ficando mais infelizes do que se tivessem no anônimato.


Terceiro: As viagens são uma maravilha, conhecer o mundo, viajando, experimentando novas experiências, mas de quê serve tudo isso se viver a vida toda buscando algo que não consegue encontrar? buscar a felicidade em um lugar que nem sabe se existe, e se não fixar suas raízes, dificilmente encontrará a felicidade, pois você vai mas as pessoas ficam.


Portanto conclui-se que a felicidade está dentro de nós, está nas pequenas coisas de nosso dia, nas pequenas coisas que temos, nas pessoas que temos, e nas experiências que vivenciamos, então não adianta buscar dinheiro, fama e viagens, se sua mente não está em paz.


Muita gente pensa nisso tudo e fica correndo atrás, mas já pensou em olhar para dentro de si mesmo?? aposto que sua vida é melhor do que pensa.


Seja feliz, a vida só é feliz se quisermos, então começe já!!!


André Silveira

21.8.09

Um dia com sofia...

Olhos de criança, corpo de fera, essa é a Sofia.


Sempre disposta a fazer tudo que é proposto, nunca baixa a cabeça pra nada, é com certeza hiperativa, tanto quanto carinhosa.


Vítima de pessoas más quando pequena, foi encontrada ferida e atirada no meio da rua. Foi tratada, cuidada, preservada, ou seja, amada.


Teve um novo destino, um lar diferente, pais diferentes, ela realmente não sabia o que seria de seu destino: "será que iria sofrer novamente?"


O destino lhe deu uma chance, e lhe proporcionou um lar de amor e carinho, que sempre será preservado. Nos olhos dela pode-se ver muito mais que uma simples perdigueira, pode-se ver uma alma, que teve uma chance de renascer para a vida, e a felicidade de cair nas mãos certas, isso com certeza ela sempre vai lembrar.


O amor que existe entre nós é algo que transcende a barreira das raças, é uma filha, é uma amiga, é uma ouvinte, acima de tudo, uma nobre companheira. Amamos muito esta rica criatura.


Olhos de criança, corpo de fera, essa é a Sofia!!!


André Silveira

Novidades....

E aí galera que me acompanha....


Tava esperando pra divulgar, mas vamos nessa...



Estou trabalhando em quatro projetos para este ano ainda, sendo dois de cunho jurídico, sobre educação e processo judicial e outros dois de literatura, sendo um livro baseado na história que conto aos poucos aqui no blog, o viajante subjetivo, e outro de ficção/romance, que ainda não posso divulgar o nome, mas garanto que está sendo tudo bem trabalhado para que esta minha nova empreitada saia bem legal.

Espero o apoio de vocês, meus leitores, para que eu consiga levar adiante estes projetos.




Pode parecer meio louco isso tudo, mas estou trabalhando sério neles, tentando conciliar o trabalho e as sete disciplinas que curso na UNISINOS.


Com certeza se lerem com o coração o que escrevo, não perderão nem um segundo de suas vidas.


Um grande abraço


19.8.09

Quando perdemos alguém...

Nossa vida tem limite, todos sabemos, mas é sempre sofrido quando um de nossos amigos ou parentes se vai, encontrar o descanso eterno. Nesta Quarta perdi uma grande pessoa, um amigo, que com certeza deixará saudades à todos, e para ele que escrevo este texto, para que onde quer que esteja, ele lembre de nós e consiga descansar eternamente no paraíso.



Quando perdemos alguém...



Todos sabemos dos riscos que corremos enquanto vivemos nossas vidas. Tomamos sempre os devidos cuidados para nos mantermos vivos, sãos e salvos. Mas a natureza é rígida, dá a todos um destino em comum, a morte.



A morte é um tema complicado de se lidar, por mais que saibamos que um dia seremos nós que partiremos, lembramos dos momentos que passamos com aquele ente querido que se foi, e vemos como é dura a vida, ao levar de nosso dia-a-dia pessoas que gostamos. Mas querendo ou não é a natureza.

Podemos tentar racionalizar esse tipo de fato (morte), mas quando se trata de alguém de nosso círculo social e afetivo não conseguimos colocar os pensamentos no lugar, apenas lamentamos e queremos que tudo aquilo seja apenas um sonho, e que logo acordaremos e avistaremos aquele ente de volta aos nossos braços. Mas não é assim que acontece.

A morte é o ponto final de um ciclo, que inicia pelo nosso nascimento, e é fechado após termos conquistado a amizade, o amor e o respeito de muita gente, por isso é uma despedida árdua para quem fica, pois o que fica, além das grandes lembranças, é o sentimento de uma lacuna aberta, que somente poderia ser preenchida por aquele que se foi.

O ser humano vive de suas emoções, e destas emoções devemos tirar lições, ou seja, o falecimento de um ente querido com certeza é um grande sofrimento, mas devemos lembrar dos feitos desta pessoa que se foi, dos ensinamentos, dos momentos de amor, dos momentos de descontração e dos momentos de alegria que nos proporcionou este que se vai, devemos rezar para que sua alma encontre a paz eterna e que, esteja onde estiver, sempre deixe suas ótimas lembranças em nossos corações.

Génesio, esse post é pra ti meu amigo, vá em paz.

14.8.09

Precisamos parar e pensar....



Precisamos parar e pensar....


As vezes a vida nos prega peças e nos deixa um tanto quanto duvidosos sobre a possibilidade de ser feliz. Será que realmente existe esta felicidade?


Temos sensações em nossas vidas que nos levam a crêr que não, por exemplo, quando não conseguimos passar num concurso, viajar para o lugar sonhado, comprar uma casa ou quando perdemos um emprego, enfim, nestas situações o que mais surge em nossa mente é a decepção e a sensação de não ser capaz de conseguir o que se almeja, ou seja, a felicidade.


Todos nós buscamos, de alguma forma, a felicidade, desde uma pessoa em extrema pobreza até o bilionário, todos usamos nossos esforços para buscar a felicidade, buscar uma forma confortável de viver.


Por vezes falhamos na busca de um objetivo maior, mas devemos pensar que pessoas que se dizem infelizes podem até morrer atrás de coisas que já temos em nossas vidas, o que nos faz pensar que se olharmos para trás ao invés de almejar sonhos e fraquejar ao não realiza-los e achar que somos infelizes, com certeza veremos que temos muita coisa, muitas realizações.


Portanto o cerne da questão é: Se você chora por um sonho não alcançado e sente-se infeliz, sinta-se realizado pelo que você possuí, pois tenho certeza que alguém daria a vida para estar no seu lugar.


Um abraço.


André Silveira

As ruas de Quito - Diário do Viajante subjetivo


As ruas de Quito (Equador), onde Marcos está vivendo sua tempestade psicológica, mas ao que tudo indica ele está encontrando dentro de si uma maneira de preencher suas lacunas.
O que me dizem amigos? Continuamos acompanhando este Viajante??
Espero as sugestões de vocês!!

13.8.09

O viajante subjetivo - CAPITULO V

CAPITULO V

AS MARAVILHAS DE UM MUNDO DESCONHECIDO


Olhei aquele monumento e senti o coração bater, era algo inacreditável, na hora lembrei que há alguns dias meu mundo não passava de uma mesa abarrotada de papéis e um apartamento cheio de sonhos e nada de realizações, me senti completo, me senti renovado, mas algo ainda dentro de mim estava incompleto.

Paulo me olhava atentamente para ver minha reação e em seguida saiu atrás de mim falando:


- Marcos, é lindo não é?! Sempre que venho aqui fico horas o admirando, parece um sonho.

- é extraordinário – eu disse – parece que me tele-transportei do meu mundo vazio pra cá, como se eu fosse outra pessoa.

Paulo com um olhar emocionado me disse:

- sabe Marcos, de todas as vezes que estive aqui, essa é a vez em que mais me senti feliz, acho que é a primeira vez que tenho um amigo, alguém pra compartilhar as alegrias. – quando o velho terminou a frase coloquei-me a pensar no que ele disse, pois realmente me faltavam amigos, me sentia bem apenas com Clarissa, mas com aquele senhor senti que tinha uma ligação de espírito, como se ele fosse um enviado para me mostrar o que eu precisava, logo, olhei para ele e disse:

- agradeço que esteja comigo Sr.Paulo, é realmente um bom amigo.

O velho sem perder tempo me disse:

- E a recém estamos começando, vamos, venha – me chamava Paulo com uma motivação de um moleque de quinze anos – vamos conhecer essa cidade, lhe mostrarei lugares magníficos.

Quito fica situado aproximadamente trinta e cinco kilometros a sul da linha do Equador, ela foi fundada em 6 de dezembro de 1534 pelo espanhol Sebastián de Benalcázar com o nome de San Francisco de Quito
Devido à altitude e localização da cidade, o clima em Quito é razoavelmente constante, com uma temperatura máxima tipicamente ao redor dos 21ºC em qualquer dia do ano. Há somente duas estações em Quito, o verão (a estação seca) e o inverno (a estação chuvosa).
Passamos por inumeros lugares da cidade, dando enfase a Praça da Independência, lugar de grande movimento e de conservação magnifica.

A cidade de Quito conta com mais de 450 estabelecimentos gastronômicos, entre restaurantes, bares e cafés, os quais oferecem grande diversidade de estilos culinários, desde os reconhecidos pela comida típica equatoriana até os especializados em alta cozinha francesa, italiana ou argentina.

Após toda essa maratona, Paulo sentou-se ao meu lado e olhando-me nos olhos disse:

- Marcos, preciso lhe contar algo, estou muito doente, tenho câncer em estado terminal, vim pra Quito para meu tratamento, mas acho que não tenho muito tempo - e sem me deixar interrompe-lo, continuou – mas gostaria de dizer que encontrei o que procurei minha vida toda, a paz interior, e tudo começou quando achei você, saiba que mesmo nos conhecendo há pouco tempo, nossos espíritos se conheciam há muito tempo, sinto você como um filho pra mim – terminou o velho em prantos, debruçando-se sobre a mesa do café em que fazíamos um lanche.

video

Após toda essa maratona, Paulo sentou-se ao meu lado e olhando-me nos olhos disse:

- Marcos, preciso lhe contar algo, estou muito doente, tenho câncer em estado terminal, vim pra Quito para meu tratamento, mas acho que não tenho muito tempo - e sem me deixar interrompe-lo, continuou – mas gostaria de dizer que encontrei o que procurei minha vida toda, a paz interior, e tudo começou quando achei você, saiba que mesmo nos conhecendo há pouco tempo, nossos espíritos se conheciam há muito tempo, sinto você como um filho pra mim – terminou o velho em prantos, debruçando-se sobre a mesa do café em que fazíamos um lanche.

André Silveira

12.8.09

Nova lei aumenta as penas para os crimes sexuais

Nova lei aumenta as penas para os crimes sexuais
Foi publicada no Diário Oficial da União a Lei nº 12.015 que estabelece penas maiores para crimes sexuais como pedofilia, assédio sexual contra menores e estupro seguido de morte. A lei também tipifica o crime de tráfico de pessoas. Sancionada pelo presidente Lula, na última sexta-feira (07), a norma prevê que a partir de agora, todos os crimes sexuais podem sofrer aumento de 50% da pena quando o ato resultar em gravidez. Outra questão abordada pela lei é que quando o autor - que saberia ou deveria saber que possui uma doença sexualmente transmissível - infectar a vítima, sua pena pode aumentar de um sexto até metade da pena prevista.
O crime de estupro contra maiores de 18 anos continua com pena prevista de seis a dez anos. Mas quando o ato for contra pessoas entre 14 e 18 anos, a pena passa a ser de oito a 12 anos. Se o estupro resultar em morte, o acusado pode pegar de 12 a 30 anos de cadeia. A violação sexual mediante fraude pode resultar de dois a seis anos de prisão e é passível também de multa se houver interesse econômico na prática do crime. Pessoas menores de 14 anos ou que, por qualquer motivo, não podem oferecer resistência, são caracterizadas como "vulneráveis", e o crime de estupro contra estas tem pena maior, que vai de oito a 15 anos. Se o ato resultar em morte, o período de cadeia também pode chegar a 30 anos. Para o assédio sexual, a pena de um a dois anos agora pode ser aumentada em até um terço quando a vítima for menor de 18 anos.
Quanto ao favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual, a pena varia de dois a oito anos. O tráfico de pessoas para exploração sexual, tanto para o exterior quanto de estrangeiros para o território nacional, gera pena de três a oito anos e pode ser aumentada em 50% quando há participação de quem tem o dever de proteger ou cuidar da vítima. O aumento também pode ocorrer quando a vítima é menor de idade ou deficiente mental ou quando há o uso de violência, ameaça ou fraude. O crime também é passível de multa. Quando o tráfico de pessoas é dentro do território nacional, o acusado pode pegar de dois a seis anos de prisão e as mesmas regras para o possível aumento de 50% do tempo se aplicam.
Fonte: Espaço Vital - Grandeee Site!!

10.8.09

O vianjante subjetivo - CAPITULO IV

CAPITULO IV

A CAMINHO DO EQUADOR – PARTE II


Após começarmos a conversa o velho se apresentou:

- Meu nome é Paulo Silva, escritor, e você como se chama??

- meu nome é Marcos, agora sou um viajante, perdi meu emprego, estou me aventurando.

O velho com uma cara de espanto me olhou no fundo dos olhos e sussurou:

- eu sabia, você me chamou a atenção quando sentou ao meu lado – e virou-se pensativo.

Eu sem perder tempo indaguei o homem:

- desculpe-me senhor, mas o que quis dizer? Por acaso me conhece?

O velho me olhou e com algumas lágrimas nos olhos disse:

- meu amigo, vejo em você minha imagem há 20 anos atrás, é inacreditável, explicarei melhor, contando-lhe minha história – então o velho começou seu discurso – eu era um homem decidido na vida, tinha emprego, casa, amigos, tudo o que precisava, mas minha cabeça clamava por algo, não sabia o que era, como se minha alma estivesse incompleta, não tem como explicar, então num belo final de semana meu mundo virou de pernas para o ar, meu emprego numa grande empresa foi-se, tão rápido quanto meus “amigos”, quase entrei em depressão, mas levantei a cabeça e decidi ir atrás dessa parte de mim que falta, então por lances do destino comecei a viajar pelo mundo, conheci muitos lugares, mas ainda estou em busca desta minha parte, e então vejo você, com a mesma história, logo pensei: é o destino meu amigo.

Ao terminar o velho voltou-se para a janela do avião e pô-se a pensar, como se buscasse uma razão para aquilo tudo, mas era muita coincidência, eu estava espantado e com medo, de virar um velho em busca de uma coisa que pode nem existir, mas de repente o velho vira-se novamente para mim e com um sorriso no rosto me faz uma pergunta:

- estou certo de que sente o mesmo que eu, não é? Sonhei com este encontro, por incrível que pareça.

Logo respondi que sim e que justamente buscava respostas para mim mesmo, foi quando aquele homem sofrido, de roupas simples me perguntou:

- posso lhe acompanhar ao seu destino? Sinto que precisamos de um ao outro.

No inicio achei uma loucura, pois não sabia nem pra onde iria e ainda teria que levar um velho comigo, mas algo me dizia, como sempre, que aquilo poderia ser o destino e que deveria levar aquele homem comigo.

- sim, claro, mas e o senhor conhece Quito?? – perguntei para confirmar se a loucura que estava fazendo estava certa.

O velho muito calmamente responde:

- Claro que sei meu amigo Marcos, foi pra cá que fiz minha primeira viagem, coincidência não?

Aquilo soou como uma bala passando por dentro de mim, a emoção foi grande. Só podia ser o destino, não havia outra explicação, tinha certeza mais do que nunca que devia continuar minha busca, e que eu estava no caminho certo.

Continuamos conversando, dormimos, comemos, enfim, aguardamos a chegada do avião à Quito, após uma escala em Cuzco no Peru. Logo o comissário avisa que pousaríamos em breve na capital do Equador, Quito, segurei-me forte na poltrona e senti uma sensação impar quando o avião pousou, senti-me um pouco mais completo.

O aeroporto Aeroporto Internacional Mariscal Sucre de Quito era bem estruturado, era diferente, era do que eu precisava, paisagens novas, coisas novas para conhecer. Eu e Paulo seguimos para tomar um café em uma cafeteria por alí mesmo, que com certeza serviram o melhor pão de queijo que comi na minha vida, algo surreal.

Paulo conhecia a cidade como a palma de sua mão, e disse que precisaria me levar à um lugar antes de irmos à um hotel que ele já havia reservado, então pegamos um taxi e seguimos ao encontro do lugar este.

Chegando lá, Paulo, orgulhoso e com um sorriso de fora a fora do rosto, me aponta um monumento maravilhoso, rodeado de bustos esculpidos por algum artista muito talentoso, em meio a um jardim de grama verde e vegetação nativa, e com o fundo decorado por uma montanha maravilhoso coberta até a metade por nuvens. Entao o velho exclamou:

- Bem vindo Marcos, La Mitad del Mundo (a metade do mundo).

A metade do mundo - Quito

E a aventura continua.....aguardem!!!

Pensamento...

Um pensamento enviado por Débora Aquino da Silveira, colaboradora do blog:
"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver". (Amyr Klink).
Uma boa semana à todos!!!

7.8.09

O viajante subjetivo...CAPITULO III

CAPITULO III

A CAMINHO DO EQUADOR



No terminal não sabia por onde começar, eram tantos guichês e destinos, e como escolher um deles? Então fui na sorte, escolhi um guichê e perguntei para a moça que atendia:

-Por favor, qual o próximo vôo?

E ela:

- O próximo vôo, senhor, vai para Quito, no Equador, com escala em Cuzco no Peru. O senhor deseja mais alguma informação??

Antes dela terminar sua frase emendei:

- Vou querer uma passagem para este vôo. – senti que esse era o caminho do destino para mim – quero uma passagem agora moça!! Não posso mais esperar!!

A atendente confusa ficou meio pasma, acho que ela nunca tinha passado por um momento assim, nenhum passageiro tinha sido tão rápido em escolher um destino na hora.

Despachei minha mochila, apenas sacando meu diário dela, peguei minha passagem e corri para o portão 7, onde de lá sairia meu vôo em 12 minutos.

Fazia muito tempo que não entrava num aeroporto, desde minha viagem para São Paulo em 2003, até então nunca mais tinha pisado no Salgado Filho. Me sentia perdido mas ao mesmo tempo sabia por onde ir, e foi assim até que encontrei meu portão e voei pra dentro da geringonça com asas, sem saber o que me aguardava.

Pois esperando por mim havia um avião luxuoso, com poltronas espaçosas, e aeromoças muito bem vestidas, eu estava desacostumado a isso, adorei. Localizando minha poltrona percebi que ao meu lado estava um senhor de idade, aparentava um setenta anos, tinha barba rala e uma cara sofrida, com trajes velhos e um cabelo desarrumado, logo pensei comigo “essa viagem vai ser longa”, e logo após a decolagem apaguei, pra refletir sobre a loucura que acabei de fazer.

Passados uns 40 minutos da decolagem fui surpreendido pelo meu companheiro de poltrona me chamando:

- Ei meu jovem!! Desculpe lhe acordar, mas poderíamos conversar um pouco? Me sinto mal em vôos se ficar tudo muito quieto, e sinto que preciso lhe falar algo.

Com minha cara amassada da soneca, olhei para o ancião e respondi prontamente que sim, e então começamos uma conversa animada, na verdade, a conversa que mexeria comigo, conversa, esta, que com certeza nunca vou esquecer.
No próximo Capitulo de nossa história, Marcos encontrará dentro de si, muito mais coisas do que ele achava que tinha, e entrará numa grande aventura....aguardem!!!
André Silveira

6.8.09

O viajante subjetivo...CAPITULO II

O viajante subjetivo...


CAPITULO II

O RECOMEÇO E A LIBERDADE

Meu nome é Marcos Aubim, e minha vida vai mudar.

Confuso como nunca estive segui depois daquela banho de água fria para casa, para refletir sobre o que fazer. Sem nenhum compromisso, sem nenhum horário para cumprir, apenas eu e meu apartamento, como se estivéssemos isolados do mundo, como se tudo que eu pensasse não servisse para nada, inclusive a idéia de respirar, eu tinha medo de entrar em depressão.

Garoto alegre, criado em meio de festas e brincadeiras, meu entusiasmo era minha marca, mas há algum tempo isso vinha desaparecendo, desde que vim morar sozinho no centro e meus pais, que eram separados há bastante tempo, foram morar em outros estados, era como se uma nuvem de fumaça entrasse em minha vida, com algo para descobrir, algo dentro de mim gritava por liberdade, mas era impossível saber o que era.

A campainha toca e eu com nenhuma disposição fui ver do que se tratava, quando me deparei com Clarissa, minha amiga, que com um rosto tristonho veio me consolar.

- Marcos, não pode ficar triste assim. Acho que precisamos dar uma saída, o que me diz??

Sem nenhum entusiasmo respondi:

- Pra que sair? Não conseguia me divertir antes, agora piorou!!!

Mas ela, como sempre, não desistia de mim e me arrastando pela sala dizia:

- Mas eu não vou deixar você aqui, vamos tomar uma cerveja...vamos...vamos!!

E eu fui não tinha como negar um convite tão gentil. Após sairmos fomos num ótimo “Pub” na Avenida Lima e Silva. Lá contei tudo sobre o que passava em minha cabeça, as duvidas que brotavam a cada dia, o vazio que sentia em minha alma, algo que eu não sabia explicar:

- É como um vazio sabe Clarissa? Como se a vida me reservasse algo, não sei explicar, é estranho.

E ela disse:

- Quem sabe é algo que tu queiras fazer? Como, por exemplo, realizar um sonho....

Sem pestanejar pensei logo no meu maior sonho, viajar o mundo.

- Pode ser isso - falei entusiasmado, mas ao mesmo tempo receoso - preciso viajar pelo mundo, como não pensei antes, mas é quase impossível, nunca saí do País, ficaria perdido fora daqui.

E ela rapidamente retrucou:

- Bobagem meu amigo, tu está precisando encontrar a paz do teu espírito, realizar teus sonhos, te libertar.

Aquilo soou como uma flecha em meu peito, as palavras emanadas por ela faziam o maior sentido para mim, era como se minha mente estivesse sendo interpretada por ela, incrível.

Sem pensar eu disse, com um ar bem mais animado:

- Acho que tens razão, vou tentar, viajarei e tentarei encontrar o que preencha o meu vazio.

Larguei Clarissa em casa e segui pensando sobre nossa conversa. Meu medo me dizia que aquilo tudo era muita loucura, não ia dar certo, mas ao mesmo tempo minha mente e meu coração tremulavam juntos, como se me dissessem que aquele era meu destino, e então tomei uma decisão, vou me libertar.

Mandei uma mensagem para o celular de Clarissa, avisando que ia para casa, em plena meia noite, arrumaria minha mala, passaria no banco, e iria direto pro aeroporto, pois eu não tinha nada a perder mesmo. Falei que iria sem destino, entraria no aeroporto com meu passaporte nunca usado e deixaria meu destino me guiar. E foi o que eu fiz.

Meia noite e meia, Aeroporto Salgado Filho, uma imensidão perto de minhas pretensões, e todo tempo eu pensava: “-Isso não vai dar certo”, mas pensei isso minha vida toda, não posso baixar a cabeça, pois se o destino quis assim, é assim que vai ser.

No próximo capítulo, Marcos vai em busca de seu destino e grandes descobertas sobre si mesmo o esperam....Aguardem!!

5.8.09

O viajante subjetivo - CAPÍTULO I

O viajante subjetivo...

Começa hoje a viagem de Marcos Aubim, um rapaz com uma disposição incrível, que com sua mochila tem o sonho de rodar o mundo em busca da paz interior, sempre com seu diário em punho...e nós...acompanharemos seus passos pelo lugares mais incríveis da terra, sempre com fotos e relatos inacreditáveis....vamos nessa...e ver o que nos aguarda...


CAPITULO I

O IMPACTO...

Brasil, quatro de Agosto de Dois Mil e Nove, oito horas da manhã, Marcos acorda com disposição e prepara sua primeira refeição do dia em seu apartamento no centro da capital gaúcha, decorado com estatuas egípcias e cores exóticas, o ambiente trás um aconchegante ar do oriente médio, como se estivesse num cenário de cinema, tudo muito bem detalhado, pois Marcos sempre foi um admirador das artes do mundo inteiro, apesar de nunca ter saído do país, fato que sempre lamentou.

No caminho para o trabalho, numa conhecida rede de empresas da capital, Marcos combinou de apanhar Clarissa, sua colega de trabalho, para irem juntos. Clarissa morava em um apartamento não muito longe do que Marcos mora, por isso quase sempre vão juntos, pois a empresa fica a uns vinte minutos do centro, mas ainda na capital.

O dia não tinha muitas novidades, o serviço que desempenhava era repetitivo, planilhas despencavam em sua tela de computador incessantemente, como se todos seus anos de faculdade de administração não servissem para nada, como se ele estivesse limitado a este serviço o resto de sua vida, assim como todos seus pensamentos seguiam neste sentido, pois sempre se perguntava: -“Será que um dia conseguirei me sentir livre?? Caminhar pelo mundo e preencher este vazio que há dentro de mim???”.

Marcos sentia que algo em sua vida precisava mudar, que algo estava pra acontecer, mas que para acontecer ele precisaria revolucionar, mas seu desânimo não o deixava amadurecer idéia alguma, apenas baixava a cabeça e voltava para seus afazeres normais.

Foi quando seu amigo Paulo entra em sua sala, senta-se e fala com um ar misterioso, porém meio triste:

- Marcos, precisava mesmo falar contigo, tivemos uma reunião de urgência agora pouco,e as notícias não são nada boas.

Marcos com o rosto pálido, pois não era comum ficar sabendo do conteúdo das reuniões de urgência, pede para que Paulo prossiga. E Paulo continua:

- A crise afetou nossas reservas financeiras e estão pensando em cortar pessoal.

E Marcos logo fala:

- Nossa! Que notícia ruim, obrigado por avisar, quer dizer que agora teremos de nos esforçar ao máximo para render à altura das exigências da empresa não é?!

Mas Paulo rapidamente diz:

- Não Marcos, você não está me entendendo, estou te dando a notícia de sua demissão!! Os cortes de pessoal começaram por você, sinto muito.

Marcos, que já era meio pálido por natureza, ficou totalmente branco, como um fantasma, com seus olhos fixados na mesa e lacrimejando parecia não acreditar, aquilo era uma coisa que parecia ser impossível naquele momento de sua vida, mas aconteceu.

Ao despedir-se dos amigos e colegas no dia seguinte, Marcos simplesmente não sabia o que fazer, apenas pensava consigo: “O que eu farei sem essa rotina?? Minha vida nunca teve uma mudança tão grande”. Algo estava pra acontecer.


O que acontecerá a partir daí?! Ninguém melhor do que ele mesmo para explicar....

No próximo capítulo, Marcos descreverá com suas palavras sua mudança de vida e o começo de sua aventura pelo mundo, que com certeza, surpreenderá bastante....Aguardem!!


André Silveira

4.8.09

Gripe A criada para lucro dos grandes???

Será que isso faz algum sentido pra você??

Pra mim fez...não sei se é verídico, o que o nosso amigo aí de baixo fala nos deixa pelo menos com uma pulga atrás da orelha.

Será que o ser humano seria capaz de tanta maldade??

Tirem suas conclusões...olhem até o final...é ótimo...

video

3.8.09

Tá na hora de terminar essa palhaçada...

Tá na hora minha gente...
A palhaçada do Senado Federal já está nos deixando com mais nojo ainda....todo mundo tá vendo as barbaridades que lá ocorrem, uma gritaria sem fim, com acusações e tudo mais....mas o pior é ver aquelas cenas de cinismo dos senadores discutindo só pro povo achar que estão fazendo algo....pelo amor de "Jah".... se a galera lá fosse comprometida já estariamos com um cenário melhor naão acham??? o senador Pedro Simon abriu a boca e largou uma polêmica sobre o Sarney, e a partir daí foi só barraco, nosso amigo renan calheiros, collor e outros conhecidos nossos de longa data protegendo o Senador Sarney com acusações de baixo calão e que visivelmente desviam o assunto, levando para o lado pessoal....ahhh...convenhamos...pra quê o Senado...só pra dar noticia no Jornal Nacional....pra mais nada...
Ah e pra fechar...e o Maluf?? foi tratado como um coitadinho na Globo, ele só tá devendo 300 milhoes de reais pro povo, que pagou seus impostos...e como se nao bastasse eles moldam a noticia como se a promotoria fosse um leão feroz que vai caçar essa presa indefesa...por favor...
Que me dizem amigo??....